Depois de explorar as vidas de Paulo Francis e Chacrinha, o documentarista Nelson Hoineff mergulhou no universo de Cauby Peixoto no filme Cauby – Começaria Tudo Outra Vez, em cartaz na 37ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo. Nelson faz um retrato íntimo do cantor de 82 anos, que lota toda semana o Bar Brahma, na esquina das avenidas Ipiranga e São João, coração de São Paulo.

Bethânia, Agnaldo Rayol, Agnaldo Timóteo, todos referem-se a ele como o maior cantor do Brasil. Minha sensação é que todos os colegas acham o mesmo. Entre os artistas, Cauby é uma unanimidade”, diz o cineasta. A ideia do documentário surgiu há vários anos, mas levou anos de maturação para tomar forma. “Sua empresária na época não deu muita bola para o projeto. Bem mais tarde, a nova empresária, Nancy, olhou o projeto com mais atenção”, explica.

De natureza fechada, Cauby nunca revelou aspectos de vida privada mas, segundo o diretor, não fez exigências para as gravações. “O Cauby é muito reservado. Fez pouquíssimas, quase nenhuma exigência. Foi muito cooperativo”, disse. Mesmo assim, revelar seus segredos não foi tão fácil. “Ele é extremamente carismático e ao mesmo tempo uma pessoa muito enigmática. Desvenda esse enigma acabou virando um joguinho entre a gente. Vi logo que o Cauby embarcou nessa trip, que a gente desenvolvia veladamente. É um artista muito inteligente e perspicaz. Essa foi uma ótima descoberta”, conclui.

O filme conta ainda a história de seu visual extravagante, com peruca de cachinhos. O look surgiu nos anos 1970, após Cauby conhecer Ney Matogrosso. Dali em diante, o até então cantor de rádio de aspecto garboso ganhou tons de Liberace – seu repertório cada vez mais teatral.

Outros aspectos da vida pessoal de Cauby fazem parte do documentário. Sua situação financeira, tópico delicado entre tantos artistas veteranos, está entre eles. “Cauby poderia estar melhor, mas está muito bem financeiramente”, explica Nelson. O diretor elogia ainda a percepção que os jovens tem do cantor: “Ele é percebido de uma forma renovada”.

O longa-metragem foi rodado com apoio da BNDES e da Globosat, por meio de leis de incentivo, além de um edital e apoio direto do Canal Brasil. O roteiro é assinado por Nelson Hoineff e a produção é de Selma Regina.

Serviço:

Cauby – Começaria Tudo de Novo

24/10 – Espaço Itaú de Cinema – Frei Caneca
Horário: 20:50
Endereço: R. Frei Caneca, 569 – Consolação São Paulo – SP

25/10 – Cinemateca – Sala BNDES
Horário: 15:50
Endereço: Largo Sen. Raul Cardoso, 207-Vila Clementino São Paulo – SP

27/10 – Cine Livraria Cultura
Horário: 16: 10
Endereço: R. Pe João Manuel, 100, Cerqueira César São Paulo – SP

Sem mais artigos