Roma abriu nesta sexta-feira a oitava edição de seu Festival Internacional do Cinema, marcado pelo retorno à comédia italiana com o mais recente trabalho do diretor italiano Giovanni Veronesi, “L’ultima ruota del carro” (sem título em português), que abriu esta edição.

O longa percorre a história recente da Itália, desde 1967 até a atualidade do ponto de vista de um motorista de furgões. É uma retrospectiva dos últimos 40 anos de história do país contados pelo peculiar e bondoso ponto de vista de Ernesto (Elio Germano), um motorista de um caminhão de mudanças cuja vida segue um curso paralelo a da Itália.

Ernesto segue os mesmos caminhos que a sociedade italiana, com momentos baixos como o escândalo “Tangentópolis” na década de 90, que coincide com um período muito negativo na vida do protagonista, mas também de momentos de frio na espinha e de alegria, como a vitória da seleção de futebol da Itália contra a Alemanha na Eurocopa de 1968, quando nasceu seu filho.

No término da projeção, o diretor criativo do Festival explicou à imprensa que elegeram o último filme de Veronesi para começar o Festival porque, “em primeiro lugar se trata de um filme italiano e, segundo, por ter muitas possibilidades de triunfar no exterior”.

Veronesi, que dirigiu “O Manual do Amor” (2005), explicou que não inventou nada e que a única coisa que fez foi “representar uma história real”.

A meio caminho entre a comédia e o drama, com grandes sarcasmos, representa, nas palavras de Veronesi “um retorno à comédia italiana” e às produções de cineastas como Ettore Scola Federico Fellini, homenageado pelo Festival no ano em que se completa 20 anos de sua morte.

“O filme tem momentos divertidos porque a vida de Ernesto conta com as mesmas características que um filme de Ettore Scola”, explicou Veronesi.

Outro destaque do Festival de Roma é “Caçando Vagalumes”, do diretor colombiano Roberto Flores Prieto. O filmeabre a mostra paralela do Festival dedicada ao cinema juvenil.

Uma fita lenta, sem diálogos quase, mas, ao mesmo tempo, imponente, que deixou grandes imagens nos olhos dos espectadores romanos, que se emocionaram ao término da projeção com esta história de amor.

Após triunfar no Festival de Gramado “Caçando Vagalumes” foi recebido em Roma com uma boa reação dos espectadores que aplaudiram energicamente ao fim da projeção.

Trata-se de uma fita muito visual que narra a vida de um introvertido vigilante de uma mina de sal abandonada, que permanece escondido da sociedade e cuja vida muda quando aparece sua filha Valeria (Valentina Abril) e Raquel, uma cadela que gosta de caçar vagalumes na escuridão.

Sem mais artigos