Acusada de colobarar com a BBC e canais de notícias americanos, a documentarista iraniana Mahnaz Mohammadi foi setenciada a cinco anos de prisão. Ela já não podia fazer viagens internacionais desde 2006. Na época, ela havia acabado de lançar Travelogue, em que acompanhava refugiados num trem com destino à Turquia e perguntava porque eles queriam deixar o Irã. Antes, Mahnez dirigiu Woman Without Shadows (2003). O filme mostrava como era a vida de mulheres sem teto em um abrigo mantido pelo governo.

Em comunicado enviado para a International Campaign for Human Rights in Iran (ICHRI), no começo de junho, Mahnaz nega as acusações do governo. “Eu nunca trabalhei para a BBC e nenhum dos meus filmes nunca foi exebido pelo canal. Meu interrogador queria que eu confessasse ter recebido dinheiro da BBC Persa para trabalhar contra os interesses do Irã, mas eu nunca fiz isso. Eles não tinham nenhuma evidência contra mim, e mesmo assim me condenaram”, afirmou a documentarista.

Várias organizações internacionais pedem a libertação de Mahnaz. Entre elas estão o Festival de Cannes e a French Director’s Film Guild (Associação dos diretores franceses, em tradução livre.

Sem mais artigos