A maior parte dos filmes americanos do cinema mudo foi perdida, mas há cópias em cerca de 700 em arquivos de outros países, segundo um relatório divulgado na quarta-feira (4) pela Biblioteca do Congresso.

Apenas 3.311 dos 10.139 filmes produzidos e distribuídos nos Estados Unidos entre 1912 e 1929 ainda existem no país, e delas só 1.575 em seu formato original de 35 milímetros, acrescentou o estudo dirigido pelo historiador David Pierce.

“Foi uma época criativa na cinematografia e incluiu uma produção de filmes e documentários com diretores e atores espanhóis e latino-americanos”, disse à agência Efe Steve Leggett, da Junta Nacional de Preservação do Filme.

“Paradoxalmente, várias produções americanas que se perderam neste país sobrevivem nos arquivos da Espanha ou da Argentina e em outros países”, acrescentou.

“Isto porque foram enviadas cópias para a exibição no exterior e era muito caro remetê-las outra vez, e por isso lá ficaram”, explicou Leggett, e acrescentou que houve nos EUA versões em espanhol de filmes como Drácula.

“Os Estados Unidos são muito agradecidos a esses outros países que, com um grande esforço, preservaram os filmes e gostaríamos de ampliar o projeto para a repatriação desses materiais”, acrescentou.

O relatório identificou uma dúzia de filmes mudos americanos preservados em Madri, incluídos The Bait (1916), Danger (1928), Good Night, Paul (1918) e No Woman Knows (1921).

No México foram localizados seis filmes dessa era, incluídos For The Honor Of Old Glory; Or, The Stars And Stripes In Mexico, de 1914; Barbarous México, de 1913; Following The Flag In Mexico, de 1916, e com título em espanhol El Robin Hood del Mexico, de 1928.

Leggett explicou que a perda desse acervo cinematográfico responde várias causas, inclusive porque com a passagem ao cinema sonoro tanto os estúdios como as distribuidoras deram pouco valor aos filmes mudos, que foram abandonados.

“Também contribuiu o fato de que se usava um tipo cinematográfico de nitrato, que se deteriora, e que os filmes eram de um material muito inflamável”, acrescentou. “Muitos filmes se perderam em incêndios de estúdios e cinemas”.

A fascinação com os moradores do sul também começou cedo na era do cinema mudo: o relatório dá conta de um filme de 1914 intitulado A Romance of the Mexican Revolution.

Sem mais artigos