Fernando Pavão como o Sansão de Sansão e Dalila, da Record

| Créditos: reproducao
| Créditos: reproducao
| Créditos: reproducao
| Créditos: reproducao
| Créditos: reproducao
| Créditos: reproducao
| Créditos: reproducao
Fernando Pavão em Sansão e Dalila | Créditos: reproducao

A megaprodução Sansão e Dalila, a mais cara já feita na Record, chega ao fim nesta quarta-feira (02). A saga bíblica, estrelada por Fernando Pavão e Mel Lisboa, chegou a marcar 14 pontos de Ibope e 26% de share, ficando à frente do Jornal da Globo, que naquele mesmo dia teve 13 pontos.

A adaptação de Gustavo Reiz, com direção geral de João Camargo, se passa em 1100 a.C. e conta, por meio de várias passagens, a trajetória de Sansão, herói hebreu. Sozinho, ele derrota exércitos e animais, mas não resiste ao amor de Dalila.

Mas, além do teor histórico, por que a minissérie foi um sucesso? Por uma questão religiosa? Pavão, em conversa exclusiva com o Portal Virgula, acredita ser mais do que isso. Ele conta, também, como foi sua escalação, bem como a preparação para o mesmo. Vejo no vídeo abaixo:

Exclusivo: Fernando Pavão comenta o sucesso da minissérie Sansão e Dalila

Sem mais artigos
Sair da versão mobile