O jornal britânico The Guardian publicou na íntegra a entrevista de Michael Douglas, na qual ele afirma que seu câncer de garganta foi provocado por sexo oral, para se defender do agente do ator, Allen Burry, que negou o conteúdo das declarações.

Para o jornal USA Today, Burry alegou que seu cliente “não disse” que suas práticas sexuais foram as culpadas pelo câncer, mas que o sexo oral “é uma possível causa de certos tipos de câncer de boca”.

Segundo Burry, o ator teria falado de maneira geral, e não em termos pessoais. “Esta não é a causa de seu câncer”, declarou.

Por ocasião do Festival de Cannes, Douglas falou sobre o tratamento médico ao qual foi submetido e negou que a doença fosse produto de um excesso no consumo de álcool ou tabaco.

“Esse câncer em particular é causado pelo HPV [o vírus do papiloma humano], que resulta da cunilíngua [prática do sexo oral]“, disse o ator.

“Mas, sim, o HPV é uma doença sexualmente transmissível que provoca câncer”, afirmou em seguida Douglas, que também reconheceu estar preocupado com a possibilidade de o estresse ter contribuído para o desenvolvimento deste mal.

Para defender-se das declarações de Burry, o grupo Guardian News & Media publicou uma gravação na qual se pode ouvir o ator revelando esta informação ao jornalista Xan Brooks.

Além disso, junto com a gravação, também está disponível a transcrição da conversa na íntegra.

Um porta-voz do Guardian News & Media informou também que o grupo não recebeu nenhuma queixa procedente do ator ou de seu agente.

Sem mais artigos