A atriz britânico-americana Joan Fontaine, vencedora de um Oscar por seu papel em Suspeita, morreu hoje aos 96 anos de idade, informou seu assistente ao Hollywood Reporter.

Fontaine, ícone do cinema nos anos 40, morreu em sua casa de Carmel (Califórnia), por causas naturais.

A atriz foi indicada três vezes ao Oscar de melhor atriz e foi musa do diretor Alfred Hitchcock em Rebecca, A Mulher Inesquecível” e Suspeita, em que contracenou com Cary Grant.

Fontaine, que nasceu em Tóquio (Japão) em 1917, mantinha uma relação de rivalidade com sua irmã e também atriz Olivia de Havilland (E o Vento Levou), da qual arrebatou o Oscar de melhor atriz em 1942.

Elas nunca se deram bem, brigaram por papéis protagonistas em Hollywood e protagonizaram desentendimentos famosos. Havilland, que tem 97 anos, vive em Paris.

Fontaine começou a ganhar sua fama de atriz em 1937 com um papel junto a Fred Astaire em Descobrindo o Amor, mas foi Hitchcock quem a lançou ao estrelato em seu papel da atormenta Mrs. de Winter em Rebecca, A Mulher Inesquecível junto a Laurence Olivier.

Desde então, os papéis de mulher com o coração partido foram sua especialidade e a levaram a uma nova indicação ao Oscar por De Amor Também se Morre. Fontaine foi também protagonista na adaptação de Orson Welles do clássico Jane Eyre, de Charlotte Brontë.

A atriz, que tem uma estrela na calçada da fama de Hollywood, será também lembrada por filmes como September AffairIvanhoé, O Vingador do Rei e Carta de Uma Desconhecida. Sua última interpretação foi em 1966 em A Face do Demônio. Fontaine era piloto de avionetes e chef culinária. Ela se casou e se divorciou quatro vezes.

Sem mais artigos