Produção do BBB21 deve engrossar regras para a próxima edição

A 21ª edição do Big Brother Brasil foi marcada por várias situações de abuso psicológico, principalmente com o ator Lucas Penteado e com Juliette. Além disso, houve comentários racistas, xenofóbicos e machistas também dentro da casa.

Preocupados com o cenário, anunciantes do programa pediram em uma reunião que a Globo possa punir quem contribuir para tais acontecimentos na próxima edição do reality.

Especificamente, a Coca-Cola e a Avon enxergaram com bons olhos como os temas foram discutidos nesta edição, mas sentiram falta de um pulso maior da produção do reality.

“Uma das conversas que a gente teve é que faz parte do regulamento do BBB que, se uma pessoa agredir a outra, a direção do programa tem o direito de eventualmente expulsar esse participante”, disse a vice-presidente da Avon, Danielle Bibas, em um encontro da agência Wunderman Thompson.

“O tema que foi levantado é: até que ponto vai a agressão psicológica, que pode se tornar tão ruim ou pior que uma pessoa dar um tabefe na cara do outro”, complementou Danielle.

No discurso de eliminação desta terça à noite, o apresentador Tiago Leifert deu a entender que a produção do BBB vai tomar medidas mais drásticas na próxima edição.

Sem mais artigos