Meryl Streep não poupou críticas a Walt Disney, criador de um dos maiores impérios de comunicação de Hollywood, durante uma homenagem à atriz Emma Thompson no National Review Gala nessa terça-feira (7), nos Estados Unidos.

“Disney trouxe alegria, notavelmente, para bilhões de pessoas, mas tinha uma propensão ao racismo e ao machismo”, criticou. “Ele formou e apoiou um lobby antissemita na indústria. E ele era, certamente, sexista”, sentenciou. “Há um ditado que diz que as pessoas mais criativas geralmente são estranhas, irritantes, excêntricas, difíceis”, continou. “Sabemos bem disso nessa indústria: Mozart, Van Gogh, Tarantino, Eminem“.

Thompson interpreta a escritora P.L. Travers no filme Walt nos Bastidores de Mary Poppins – baseada na história real de como a escritora relutou em vender os direitos do livro Mary Poppins para Disney produzir o filme. Sobre a atriz, Meryl mudou o tom e foi elogiosa.

“Não somente ela é irascível, mas ela é praticamente uma santa […] Emma faz com que você queira se matar, porque ela é uma artista maravilhosa, uma escritora, uma pensadora, ela é uma consciência viva”, conclui.

Sem mais artigos