Michael Douglas, vencedor do Oscar de melhor ator principal em 1988, por seu papel em Wall Street, acredita que seu trabalho nunca foi devidamente reconhecido. O ator, que neste ano venceu um Emmy pelo filme Behind the Candelabra, chorou as pitangas em entrevista à revista masculina GQ.

“Eu sempre me senti um pouco subestimado, pessoalmente. Eu tenho uma boa média de chutes certos a gol nos últimos 40 anos. Às vezes, talvez, parecia fácil”, disse o ator.

Ele comentou, ainda, a recusa de todos os estúdios de realizar Behind the Candelabra, em razão do conteúdo do filme. O longa-metragem, que acabou sendo bancado pelo canal a cabo HBO, conta a história do relacionamento de cinco anos entre o pianista Vincent Liberace (Douglas) e seu namorado, Scott Thorson (Matt Damon), 18 anos mais novo.

“Eu, na verdade, estou tendo certo prazer, um prazer vingativo, em saber que todos os estúdios recusaram o filme”, disse Douglas, sobre o sucesso de Behind the Candelabra. “Para mim, é um reflexo do quão constipados e conservadores os estúdios se tornaram”, disse.

Sem mais artigos