Naomi Watts revelou, em entrevista ao Daily Mail, que sentiu a presença de Diana Spencerdurante as gravações da cinebiografia Diana e que a princesa teria dado permissão para continuar o filme.

“Teve momentos em que eu definitivamente senti a presença de Diana. Eu sonhei com ela bastante também e aí comecei a me perguntar se ela gostaria disso”, disse. “Eu me vi constantemente pedindo a ela permissão para continuar o filme. Então teve um momento em particular que eu senti que a permissão estava dada.”

A atriz falou sobre o peso de representar uma pessoa tão famosa e amada. “Teve muita hesitação da minha parte antes de aceitar fazer. Obviamente eu estava fazendo uma das mais famosas mulheres de todos os tempos e uma enorme pressão vinha com isso”, disse. “Mas os melhores papéis vêm com esse risco. E no fim eu decidi que eu não podia não fazer o filme.”

“Essa é uma história que precisava ser contada, é uma história importante, mas é definitivamente a coisa mais difícil que já fiz”, revelou. “Você quer fazer isso certo e todos terão uma opinião a respeito de como ela deveria ter sido retratada. É muito assustador.”

Mas a opinião dos filhos da princesa tem um peso especial para Watts, “Eu detestaria magoá-los. Espero que eles se sintam bem sobre o filme”.

Sobre a relação pessoal com a imagem de Diana, Watts revela que ficou um pouco traumatizada com a morte da princesa. “Eu cresci na Inglaterra e, como todo mundo, assisti ao casamento real. E depois quando eu estava na Austrália, ou trabalhando nos EUA, ela ainda estava muito presente na minha vida, na televisão e nos jornais. Foi tudo tão chocante”, contou.

“Eu sou inglesa. Eu nasci aqui e vivi aqui até os 14 anos. Voltar aqui para filmar Diana foi muito especial para mim”, finaliza.

Com direção de Oliver Hirschbiegel, Diana estreia nos cinemas do Brasil em 25 de outubro.

Sem mais artigos