Christina McDowell, filha de Tom Prousalis, sócio de Jordan Belfort ligado aos escândalos retratados no filme O Lobo de Wall Street atacou o diretor Martin Scorsese e Leonardo DiCaprio, alegando que eles glamourizaram um estilo de vida baseado em “puladas de cerca e porres de cocaína”.

De acordo com o site do jornal britânico The Guardian,  McDowell acusa o filme de “exacerbar a obsessão nacional por riqueza e status e de glorificar a cobiça e um comportamento psicopata”.

O posicionamento de McDowell foi publicado em uma carta aberta no LA Weekly.

McDowell, que diz ter sido forçada a mudar de nome depois de descobrir que seu pai usou sua identidade para lavar dinheiro, questiona sobre a mensagem cultural passada pelo filme.

“Vocês pensaram sobre a mensagem cultural que vocês estariam passando quando vocês decidiram fazer esse filme? Você conseguiram se alinhar com um criminoso, com um cara (Belfort) que ainda não restituiu suas vítimas”, escreveu McDowell.

“E eu nem comecei a falar sobre o jeito incompreensível que vocês degradam as mulheres no filme, a mensagem misógina que vocês endossam nas gerações mais novas de homens”.

O Lobo de Wall Street, comédia de humor negro sobre Jordan Belfort, um corrupto homem de negócios, foi nomeado um dos top 10 filmes do ano pela American Film Institute (AFI).

O filme, que entra em cartaz no Brasil no dia 24 de janeiro de 2014, foi indicado ao Globo de Ouro nas categorias de melhor comédia/musical e melhor ator de comédia/musical.

Sem mais artigos