A atual novela das 19h da Globo, I Love Paraisópolis, faz sucesso de público. E sem recorrer a um expediente que era muito comum no passado: despir seus personagens. Ou melhor, tirar a roupa dos homens. Essa prática vigorou entre as novelas das sete na emissora, começando nos anos 80 e vivendo seu auge nos anos 90 e 2000.

Basicamente, o autor que mais cultivou a estratégia foi Carlos Lombardi. O novelista escreveu uma comédia atrás da outra, e uma das marcas registradas de suas tramas era a presença abundante de galãs musculosos circulando sem camisa (ou até sem as calças).

Humberto Martins, Marcos Pasquim, Marcelo Novaes, foram os reis do gênero. Mas vale lembrar que as comédias escritas por Sílvio de Abreu nos anos 80 já tinham esse componente, antes do autor migrar para tramas mais densas no horário das 20h (hoje 21h).

Carlos Lombardi deixou a Globo em 2012, migrou para a Record e levou com ele essa marca: suas tramas nesta emissora trazem seus indefectíveis bofes descamisados, mas sem a mesma força de outrora. Então relembre na galeria a seguir os principais momentos dessa era dinossáurica, hoje em extinção!

Sem mais artigos