I can’t get no… satisfaction… but I try, I try, I try, I try!…

Pois é, minha gente, a manjada letra dos Rolling Stones serve como luva para um cara singular: Martin Scorsese, o genial cineasta americano que completa 72 anos hoje, 17 de novembro de 2014.

E falar em Stones e Scorsese juntos tem tudo a ver, porque a dinossáurica banda sempre foi uma das preferidas do cineasta. Isso mesmo: o diretor, que tem cara e jeitão de vovô, no fundo é um eterno rebelde com o rock gritando nas veias.

Rock sozinho não tem graça, tem que ter drogas e sexo junto, certo? Pois Scorsese não se fez de desentendido: ao longo de sua vida e carreira, ele sempre seguiu essa tríade, principalmente nos anos 60 e 70, misturando filmes marcantes com uma explosiva vida pessoal.

Depois ele deu uma sossegada, mas continua roqueiro, em todos os sentidos. Então o Virgula dá os parabéns ao cara, lembrando dez highlights de sua existência. Os momentos mais legais, entre tantos, da vida de Scorsese. São esses:

1. Desistiu de ser padre e mafioso para virar cineasta
É, para quem não sabe, o jovem Scorsese estava em dúvida entre duas profissões: ser padre ou mafioso/gângster/fora da lei. Ambas as “carreiras” estavam em alta na região de Little Italy, em Manhattan, onde o garoto foi criado. Mas para nossa (e dele) sorte, Martin optou por outra paixão: o cinema.

Martin Scorsese 1985

2. Editou o filme sobre o Festival de Woodstock
Scorsese foi um dos editores do documentário sobre o Festival de Woodstock (de 1969). O filme foi lançado em 1970 e a montagem da obra é um dos charmes, com as telas divididas e 3 horas de duração!

3. Dirigiu Taxi Driver
Um dos filmes mais incríveis e cultuados de todos os tempos, tem a direção brilhante de Scorsese. Influenciou Tarantino, tem Jodie Foster como periguete adolescente, sangue jorrando, DeNiro surtando, enfim… Não assistiu? Pare tudo e assista ao trailer (e ao filme, claro):

4. Namorou Liza Minnelli
Em plenos anos 70, Scorsese teve um movimentado caso com a atriz e cantora transtornada. Dizem que o romance foi regado a muita cocaína, brigas, ciumeiras e bafos em geral. Na época o cineasta era casado com outra. Ah sim! Depois de ficar com Liza e de se divorciar da esposa, Scorsese pegou Isabella Rossellini, com quem ficou casado de 79 a 82.

Martin Scorsese e Liza Minnelli

5. Tirou a roupa de Jesus e peitou a igreja
Em 88, saiu A Última Tentação de Cristo, filme polêmico de Scorsa (vamos apelidar ele assim, tá?). O diretor foi quase tão crucificado como Jesus, pela ousadia de dar um novo ponto de vista à história. Além de mostrar Jesus (Willem Dafoe) pelado em plena cruz. E que tal David Bowie no papel de Pilatos?

A Última Tentação de Cristo

6. Ganhou Cannes duas vezes
Oscar nada, Scorsese arrasou mesmo no Festival de Cannes, um dos três mais importantes do mundo. Taxi Driver levou a Palma de Ouro em 1976, e o cineasta levou Melhor Diretor em 1985, por Depois de Horas.

 7. Um Oscar!
Mas como ninguém é de ferro, Scorsa também queria o Oscar (e quem não quer?, como diria a Xuxa Verde). Ele foi indicado 8 vezes como Melhor Diretor, e levou em 2007, por Os Infiltrados.

Martin Scorsese ganhando o Oscar

8. Fez O Lobo de Wall Street
Alguém duvida que O Lobo de Wall Street é um dos filmes mais legais e bizarros dos últimos tempos? E Scorsa fez a obra em Hollywood, atual lar dos filmes caretas e insuportáveis. O diretor, em parceria com seu astro favorito Leonardo DiCaprio, sambou na cara da sociedade contando sem pudores a saga da geração yuppie viciada em drogas, sexo, poder e dinheiro. Quem mais colocaria em cena DiCaprio pelado sendo enrabado por uma vela?

Leonardo DiCaprio pelado

9. Apoiou a Kodak na volta da película
O cineasta é um dos diretores que apoiam a fabricação de película de cinema, quase em extinção depois da revolução digital. Ao lado de gente como Tarantino, Scorsa pediu novos rolos de filme para a Kodak, para garantir que a empresa continue fabricando película de cinema.

Martin Scorsese filmando

10. Docs musicais
Fiel à sua paixão pelo rock, Scorsese dirigiu vários documentários musicais: O Último Concerto de Rock (1978, sobre a The Band), Shine a Light (2008, sobre os Stones), George Harrison: Living in the Material World (2011, sobre o eterno ex-Beatle), além de ter produzido outros tantos, inclusive para a TV.

11. Sim, vamos incluir mais um item na nossa lista de 10: Dirigiu o clipe de Bad, de Michael Jackson
We Love Michael! Mas é preciso dizer: os maravilhosos clipes do Rei do Pop nos anos 80 tiveram a “ajudinha” dos diretores. John Landis dirigiu o clipe de Thriller (1983), que todo mundo ama, e Scorsese não deixou barato ao dirigir o clipe de Bad (1987). Assista pela milésima vez e veja como um genial cineasta faz diferença na hora de criar um clipe. Ouviram, Mileys, Rihannas, Beyonças e amigas?

Então é isso, parabéns, Scorsese! Pode apagar a velinha:

Gif DiCaprio pelado

Sem mais artigos