Theodoro Cochrane não havia nascido quando a primeira versão
de Saramandaia foi ao ar em 1976. Ele teve de recorrer ao Youtube para conhecer
melhor o personagem Delegado Petronílio. Para o papel, o ator, filho da
jornalista Marília Gabriela, fez uma mudança radical no visual: alisou os
cabelos encaracolados e deixou crescer o bigode.

“Nesse caso o cabelo me ajudou bastante na composição
do tipo do delegado, que é mais certinho”, contou em entrevista ao
Virgula. Petronílio é virgem, não bebe nem joga e é amigo do único preso da
fictícia cidade de Bole-Bole, criada pelo autor Dias Gomes.

O grande dilema do delegado na trama acontece quando Maria
Aparadeira (Ana Beatriz Nogueira) e Cazuza (Marcos Palmeira) tentam unir o
casto Petronílio a Marcina (Chandelly Braz), personagem que queima –
literalmente – de desejo. Questionado se usou experiências da adolescência para
interpretar um virgem, ele reflete. “Resgatei a seriedade e a tensão
que a abstinência sexual causa. A confiança pessoal vem sim com a maturidade e
o sexo é consequência dessa segurança. Ele [Petronílio] já é maduro e bem
resolvido. Diria que representa a turma dos castos, tão em voga hoje em
dia.”

Há três anos afastado da televisão – seu último papel foi
em Macho Man, de 2011 -, Theodoro não abre mão do teatro nem da TV.
“Acho estimulante trabalhar em diferentes contextos e pessoas. Amo fazer
TV e amo teatro, cada um tem o seu atrativo. Acho que um recicla o trabalho do
outro, não deixa engessar nem ficar num estilo mais viciado e
burocrático”, explica.

Saramandaia vai ao ar de segunda à sexta-feira às onze da
noite.

Sem mais artigos