A imprensa do Reino Unido considerou muito “suave e amável” a biografia de Diana no cinema, depois de trailer apresentado nesta quarta-feira sobre os dois últimos anos de vida da princesa, interpretada por Naomi Watts.

A prévia não dura mais que dois minutos, mas já indica qual é o foco do filme, que estreia em 5 de setembro: a história de amor entre a “princesa do povo” e o cirurgião de origem paquistanesa Hasnat Khan.

Definido por Diana como “maravilhoso”, Khan foi, nas palavras de amigos da princesa, o amor de sua vida. Eles ficaram juntos até junho de 1997, quando a princesa conheceu o multimilionário egípcio Dodi al-Fayed.

O trailer mostra o assédio da mídia inglesa ao casal, mas foi recebido com frieza pelo jornal The Guardian, que avalia que a fita dará uma versão “suave e amável” sobre Diana.

“O trailer apresenta a princesa com uma luz de santidade”, e ainda define a Diana da atriz australiana Naomi Watts como “idealizada, romântica e pura”.

“Tudo cheira a Notting Hill misturado com o castelo de Windsor”, arremata.

Mais detalhado é o Independent, que traz declarações feitas por Watts durante as filmagens, feitas em Londres, Croácia e Índia, sobre o desafio de interpretar um personagem icônico para o Reino Unido e para a imprensa internacional.

“Às vezes a lenda não é a história completa”, anuncia o trailer, que apresenta uma Diana divorciada e isolada da família real britânica e que precisa lidar com a multidão de fotógrafos que a seguem em cada momento de sua vida.

Considerada a “princesa do povo”, Diana continua presente na memória dos britânicos, principalmente em momentos simbólicos como o nascimento de seu primeiro neto, filho de William e Kate, em julho deste ano. A princesa morreu em um acidente de carro em Paris em 31 de agosto de 1997. 

Sem mais artigos