Voluntários ficam confinados 40 dias em caverna na França

Um grupo formado por 15 pessoas está experimentando viver radicalmente na França, aproveitando um lockdown mais restritivo no país devido à pandemia de Covid-19.

O grupo se isolou desde a noite do último domingo na caverna de Lombrives, nas montanhas dos Pirineus, ao sul de Toulouse. A “aventura” deve se estender por 40 dias.

Oito homens e sete mulheres fazem parte do experimento para diagnosticar como os seres humanos reagem sem os referenciais espaço-temporais usuais.

Os confinados estão sem telefones, relógios e luz natural. “Três espaços separados foram montados: um para dormir, um para morar e outro para fazer estudos de topografia, em particular para fauna e flora”, disse Christian Clot, líder do projeto.

Sem mais artigos