A pandemia está fazendo com que zumbis e espíritos pareçam até “relaxantes” ao público. No Japão, a fim de oferecer entretenimento seguro e uma distração em meio à crise do coronavírus, uma produtora oferece a oportunidade de ouvir histórias de terror enquanto se está deitado em um caixão e rodeado de “espíritos”.

O cliente é colocado em uma caixa de dois metros, com uma divisória de plástico, enquanto ouve histórias de terror. No decorrer do áudio, atores entram em cena para tornar a experiência mais real. Eles jogam água na “vítima” e a cutucam com mãos falsas.

A iniciativa é da companhia Kowagarasetai, o “Pelotão do Teror”, e ocorre em Tóquio. Cada apresentação dura 15 minutos e custa 800 ienes, cerca de R$ 42.

Ao final de cada apresentação, os atores higienizam o caixão para receber, com segurança, a próxima “vítima”.

“A pandemia é muito estressante, esperamos que as pessoas possam relaxar um pouco com um bom grito”, disse o coordenador da produção, Kenta Iwana, à agência Reuters.

O programa também é uma forma de empregar os atores da companhia de terror, que com a chegada da pandemia, ficaram desempregados. Anteriormente, a maior parte dos colaboradores performava em parques de diversões.

Apesar de parecer estranha a ideia de relaxar ao som de motosserras e histórias de terror, a iniciativa tem dado certo.

Kazushiro Hashiguchi, de 36 anos, contou à Reuters que estava procurando por uma atividade para se livrar do estresse, já que muitos eventos foram cancelados por causa do coronavírus. Após assistir à apresentação da Kowagarasetai, ele disse: “me sinto relaxado agora”.

A companhia também é a responsável por adaptar as casas mal-assombradas para a era da pandemia, criando o drive-in de terror. Assim que o cliente estacionava o carro em uma garagem, as portas se fechavam e as luzes se apagavam. O veículo era então atacado por zumbis, com direito a muito sangue jorrado nos vidros.

Sem mais artigos